Os desafios da educação

Padrão

A edição de aniversário da revista Pais & Filhos está imperdível para quem se preocupa com a educação e formação dos filhos, sobrinhos, netos, enfim, de um ser em formação que está sendo preparado para viver e governar este mundo.

Como mãe, filha e amiga, sugiro esta edição para ser adquirida e guardada para futuras consultas. Afinal, educar é um exercício contínuo, né? Não existe fórmula, é verdade, mas exige planejamento, como vocês vão saber ao ler a entrevista com o filósofo e educador Mário Sérgio Cortella.

Seu pensamento vem ao encontro de pais e educadores que buscam orientações sensatas para aplicar no dia a dia. Suas colocações são muito claras, desfazendo equívocos teóricos e definindo corretamente alguns conceitos mal empregados.

Quando a revista pergunta se não tem FÓRMULA para educar os filhos, ele retificar: “não tem REGRA. Filho não vem com manual de instrução, mas não é tão solto assim. Tem um mito nessa área de que não dá para programar. (…). Planejamento está no reino da ciência, adivinhação está no reino da magia. Embora cada indivíduo seja um indivíduo, não significa que não haja características comuns na humanidade”.

Outro ponto bem esclarecedor é quando ele explica que PACIÊNCIA não é LERDEZA. “Um amor paciente é aquilo que Paulo Freire chamava de paciência pedagógica, histórica e afetiva. O que é paciência histórica? As coisas têm o seu tempo”.

Quando questionado sobre os pais hoje serem mais PERMISSIVOS, Cortella corrige, “nós somos mais FROUXOS e, portanto, mais permissivos. Como hoje uma parte das pessoas fica muito ausente de casa, não tem convivência. (…) você só pode ter autoridade quando convive. Se você não convive, sua autoridade é frágil, na medida em que você não exerce o poder no cotidiano.

E a gente sabe que gritar não resolve, mas a perda da razão nos faz agir assim repetidas vezes. Segundo o educador, “o uso da força para controle de alguém é sinal de fraqueza”. E as crianças sacam rapidamente as nossas fragilidades e sabem como tirar proveito dessas situações e momentos.

Aqui em casa, a cada aniversário da minha filha ela “ganha” uma tarefa. Fazer parte de uma família também inclui responsabilidade, participação e respeito. Na entrevista na revista Pais & Filhos, Cortella ressalta a importância da participação das crianças nas tarefas de casa e as consequências disso na vida adulta. Também critica os excessos de brinquedos e o quanto isso é prejudicial à personalidade!

Por fim, tem uma coisa muito bacana sobre alimentação que ele coloca que eu achei pertinente: “Quando nós perdemos a capacidade de respeito aos alimentos, também perdemos reverência à vida, porque o alimento é o que nos mantêm vivos”.

Outros assuntos são bem abordados, como tradicional x antigo, maturidade física e emocional, ritual, convivência, doenças, medicação, qualidade x quantidade de tempo, pensar.

Fonte: revista Pais & Filhos, edição setembro de 2012.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s