5 razões para não querer ser (muito) rico

Padrão

clovis3

O professor de Ética da ECA-USP, Clóvis de Barros Filho, está bombando na internet, principalmente nos sites de relacionamento, após sua entrevista ao Jô Soares.

Com jeito de showman, traz temas pouco palatáveis para o cotidiano dos internautas. Sabe, como poucos, transformar um prato de caviar em sardinha. Isto é, esmiúça com linguagem popular as grandes questões filosóficas que afligem o homem desde a antiguidade.

Embora só agora seu nome esteja na “boca do povo”, o professor sempre esteve na mídia e nas escolas de cursos rápidos, do tipo Casa do Saber. Na edição do mês de setembro, Clóvis participou da matéria QUANDO DINHEIRO É PROBLEMA, da revista Poder. Apontou 5 razões para não querer ser (muito) rico que a gente traz aqui de forma bem enxuta.

O professor começa dizendo: “eu me atrevo a dizer que os ricos são atravessados por sofrimentos que os pobres nem sonham ter”. Vamos saber quais são os argumentos filosóficos que ele usa para persuadir uma pessoa a não desejar ter tanto?

clovis2

NÃO AMAR NEM DESEJAR NADA

Baseando-se no pensamento platônico sobre Eros, Clóvis explica que você ama aquilo que deseja e só deseja aquilo que não tem. Sendo assim, o desejo só aparece com a falta. Com esta lógica, ele conclui: a pessoa rica “tem tudo e não deseja nem ama nada e, portanto, leva uma vida infeliz”.

MEDO DE PERDER TUDO

Aqui, ele resgata a teoria do filósofo holandês Bento Espinosa “potência de agir”. Ele traz os dois conceitos de alegria e de tristeza em que este é um estado de menor potência, enquanto aquele é de maior potência. Ter muito dinheiro pode chegar ao estado de temor e/ou medo, localizados na baixa potência. Traduzindo: “o medo do empobrecimento aumenta conforme aumenta a riqueza”.

NÃO SENTIR PRAZER

Seguindo a linha de pensamento do grego Epicuro, para se ter uma boa vida é preciso ter prazer. Só que este prazer deve ser contínuo, sustentável. Entretanto, quanto mais condições materiais se adquire, mais difícil fica ter prazer com coisas simples, pois a pessoa vai sofisticando cada vez mais seus prazeres.

SENTIR-SE SEMPRE INSEGURO

Tendo como base a obra Leviatã, do inglês Thomas Hobbes, o professor mostra que a pessoa que “tem tudo está na mão da eficácia do Estado”, fazendo-o sentir-se inseguro.

TER FALSOS AMIGOS

Por fim, a busca da felicidade – dentro do conceito da ética – pregada por Aristóteles. Como saber o real motivo pela pessoa ser sua amiga: suas virtudes morais ou seus bens que proporcionam bem-estar? Você não ter nenhum bem material, mas ter amigos, sem dúvida o motivo é a sua pessoa. Entretanto, quando outros fatores como bens, dinheiro e status são adicionados, fica difícil perceber o que de fato motiva a pessoa a estar com você.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Se você se encantou com o pensamento do professor-filósofo, Clóvis Barros Filho, sugiro:

  • a leitura completa da matéria,
  • os cursos que ele realiza na Casa do Saber,
  • o site de sua empresa Espaço Ética
  • e sua página no Facebook.

Gostaria de ler alguns livros dele? Conheça alguns aqui:

  • Filosofia explica as grandes questões da humanidade, editora Casa da Palavra.
  • A vida que vale a pena ser vivida, editora Vozes.
  • Ética e comunicação organizacional, editora Paulus.
  • Ética na comunicação, editora Summus.
  • Comunicação do eu: ética e solidão, editora Vozes.
  • Comunicação e práticas de consumo, editora Saraiva.

livro_clovis_post1
livro_clovis_post2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s